O atraso no plantio e as expectativas de colheita para a safra 2020/21

Sdsdasd

A safra 2020/21 teve seu início com influência da La Niña, um forte fenômeno climático que se caracteriza pelo resfriamento das águas do Oceano Pacífico, o que atinge diretamente as condições de tempo, com altas previsões de que o Paraná tenha chuvas irregulares e abaixo da média, o que já vem trazendo dificuldades para o produtor rural, gerando o atraso no plantio.

A chance de o fenômeno durar até o fim do verão é de mais de 90%, de acordo com o Departamento de Meteorologia dos Estados Unidos (NOAA), já notando seu primeiro efeito na soja, e no milho, em suas primeiras safras, causando também atraso das precipitações, podendo até provocar invernada no momento das colheitas.

Em relação à soja, segundo os dados do órgão do governo paranaense, mesmo com um avanço semanal, o plantio da oleaginosa fica abaixo dos índices visto nos últimos quatro anos, superando apenas o resultado de 2015, quando o plantio atingiu 91%.

Já com o milho, o Deral reportou recentemente o fim da semeadura da safra de verão, que avançou dois pontos e atingiu 76% das lavouras em condições boas, no entanto ainda com registros de conclusão mais tardios desde a safra 2015. Assim, as expectativas das colheitas dessa safra não seguem sendo as mais otimistas, e com muitas chuvas para acompanhar.

Diante disso, ressalta-se a importância do uso dos medidores de umidade, pois, uma vez que o nível de precipitação está irregular, realizar essa medição é primordial na avaliação comercial, já que os grãos são comercializados em unidade de peso. Portanto, a quantidade de umidade presente no grão pode afetar consequentemente seu valor comercial.

A Loc Solution, fabricante da marca Motomco, presente há 25 anos no Brasil, projetou os medidores de umidade para grãos que possuem a maior durabilidade e precisão do mundo. Contamos com uma linha de diferentes modelos de medidores, desenvolvidos para se adequarem às necessidades particulares de cada modalidade de plantio, auxiliando para que, mesmo em meio a um fenômeno que afete gravemente as safras, os medidores possam contribuir para que isso não reflita em perdas de maquinário na hora de colher, e em descontos agressivos para o produtor rural.

Cadastre-se em
nossa Newsletter!

Curtiu o artigo? Compartilhe!