Como a umidade pode representar perdas para o cafeicultor

Cafe Do Br 2

O café é um produto que pode ter valor maior ou menor dependendo da qualidade apresentada, e um fator importante nesse processo é a secagem. O processo de secagem no pós-colheita irá interferir diretamente na qualidade final do café, portanto, nós cafeicultores precisamos estar atentos a todas as variantes desse processo para que possamos alcançar o máximo de qualidade possível dos nossos cafés. Para a secagem desses cafés existem alguns métodos como:

  • Secagem em terreiro podendo ser de concreto, lama asfáltica, ou até mesmo de terra batida e esse é o método de secagem mais usado na maioria das propriedades.
  • Secagem mecânica via secadores elétricos, a gás ou a lenha.
  • Secagem em terreiro suspenso.

Todos os métodos de secagem possuem o mesmo objetivo, que é retirar a água do grão de café até chegar na umidade ideal para o processo de beneficiamento, que de acordo com a portaria do Instituto Nacional de Metrologia (Inmetro), após a secagem o ideal é que a umidade do grão se mantenha entre 10% e 12%, índices que seguem normas do Ministério da Agricultura. E isso não é uma tarefa simples e possui uma enorme importância não só para a qualidade final da bebida, como pode representar também prejuízos enormes para nós cafeicultores, pois abaixo de 10% de umidade, você poderá ter um número maior grãos quebrados, com o grão mais seco ao passar pela máquina de beneficiamento se torna muito mais fácil quebrar os grãos e esses acabam se tornando ‘’escolha’’ significando perda financeira tendo em vista que esse tipo de café tem um valor muito inferior no mercado. Temos também a perda de peso, pois obviamente quanto menor a porcentagem de umidade, menor a quantidade de água no grão e consequentemente menos água significa menos peso, e você precisará de mais grãos para conseguir uma saca de 60 kg de café, representando também um enorme prejuízo financeiro. 

Já na situação contraria, cafés beneficiados acima de 12 % de umidade também trará perdas, poderá haver o (branqueamento) do café, cafés estocados com umidade acima de 12% tender a branquear mais rapidamente, fazendo com que você tenha perdas financeiras pois se torna um café inferior e será vendido a preços menores. Há também a possibilidade de se criar micotoxinas provocadas por fungo devido a umidade mais elevada, afetando diretamente o sabor, a qualidade e consequentemente o preço do produto.

Vale ressaltar também a importância de se ter bons equipamentos para se fazer as medições de umidades, medidores homologados e calibrados, como os medidores Motomco, para que não haja erros durante o processo de secagem.

Por fim, vale ressaltar que o mercado consumidor de café está cada vez mais exigente com qualidade, e um café bem seco com umidade ideal mantém suas características originais, de cor e consistência de grãos, garantindo um resultado final de sabor e aroma na xícara.

Rafael Stefani Mendes

Cadastre-se em
nossa Newsletter!

Curtiu o artigo? Compartilhe!