Matopiba deve produzir quase 12% a menos de soja no país

matopiba-grafico-768x474

A irregularidade de chuvas que tanto atrapalhou as safras do Sudeste, Centro-Oeste e Sul deve trazer grandes problemas para o Matopiba (Bahia, Tocantins, Maranhão e Piauí). Por lá espera-se uma redução na produção de quase 12% se comparada a safra anterior, segundo a Conab. A boa notícia é que a incidência de doenças foi menor em alguns estados como no Piauí, o que fez o produtor gastar menos com aplicações.

O Matopiba deve produzir ao todo 13,2 milhões de toneladas nessa safra, ou seja, 11,4% dos 115,3 milhões que o país produzirá nesta safra. No ano passado a região produziu quase 12% a mais (14,9 milhões de toneladas) e também tinha uma participação maior no Brasil, com 12,5%. Mas vale lembrar que mesmo com as quebras a região ainda está produzindo mais que a média histórica antes do ano passado, que foi uma temporada atípica e muito produtiva.

Piauí produz menos, mas nem tanto

A área plantada de soja, no Piauí, atingiu 758 mil hectares. aumento de 6,7% em relação à safra anterior. Mas a produtividade por hectare deve diminuir, segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento, chegando a 50,5 sacas por hectare, contra as 59,5 da safra anterior. Por lá, os produtores plantaram mais cedo (a partir de 15 de outubro) e pegaram veranico entre dezembro e janeiro, bem na fase de enchimento de grão.

“A maior peculiaridade da safra 2018/2019 é a irregularidade nas chuvas. Ficou muito desuniforme, eram manchadas, dava para observar isso dentro de propriedades. Na nossa fazenda, por exemplo, tem diferenças de até 150 milímetros de um talhão para o outro”, diz o presidente da Aprosoja-PI, Alzir Neto.

Com isso a projeção para o estado é de uma safra menor, na casa de 2,2 milhões de toneladas, ante as 2,5 milhões de toneladas da temporada anterior, mas bem acima das safras anteriores, que não chegavam nem a 2 milhões de toneladas.

A irregularidade de chuvas não traz apenas desvantagens para a região, já que a baixa umidade em alguns períodos também diminuiu a incidência de pragas nas lavouras. Um dos exemplos é a ferrugem asiática, que no Piauí, não houve sequer uma ocorrência do fungo, até agora.

“Esse ano tem sido bem tranquilo. não temos nenhuma notícia, nenhum fato de casos extremos de pragas, doenças um algum outro fator extra que tenha prejudicado. a redução do potencial produtivo foi o período de 30 dias de irregularidades de chuvas”, conta o diretor executivo da Aprosoja-PI, Rafael Maschio.

FONTE: Canal Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>