El Niño deve trazer irregularidade de chuva no Ceará

el nino

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o próximo fenômeno deve ser “fraco”, com características oceânicas diferentes das registradas nos últimos anos.

 

Com 99% de chances de ocorrer no primeiro mês do ano de 2019, o “El Niño” deve ocasionar um período de irregularidades na quadra chuvosa no Ceará, segundo o coordenador-Geral de Meteorologia do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), Expedito Rebello. “Tem que aproveitar para armazenar água nos meses chuvosos”, destaca.

O coordenador explica que as águas do Oceano Pacífico Equatorial já estão aquecidas e assim devem permanecer em janeiro, mas o período não necessariamente deve ser de “seca” no Nordeste. A Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) explicou em setembro último, que das últimas 15 ocasiões de El Niño, 11 geraram impactos de seca.

Os efeitos devem ser “chuvosos” no Sul do país, e “chuvoso” do Sul da Bahia, Sudeste e parte do Centro-Oeste, segundo a Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA), na sigla internacional). O estado atual é de “Alerta”, para o Serviço Nacional da Austrália. O próximo status é de confirmação do fenômeno, seguindo a escala desenvolvida pelo Serviço.

“É uma questão de tempo para os órgãos oficiais de meteorologia como a NOAA e o Serviço Australiano decretarem o início do acoplamento Oceano-Atmosfera. É irreversível. Vai acontecer”, reforça Expedito. O coordenador destaca ainda que o próximo evento será “fraco”.

LEIA  NOTICIA COMPLETA EM: Diário do Nordeste