Estradas precárias dificultam avanço de cidades ‘filhas da soja’ em MT

vila de Santiago do Norte, em Mato Grosso, quer virar cidade, mas, para isso, precisa de caminhos possíveis para alcançar novos lugares. A maior dificuldade para o bairro de Paranatinga que quer ser município está nas vias de acesso.

De um lado, está a estrada que leva até a sede do município, a 158 quilômetros de distância. De outro, a BR 242, que sai de Sorriso e morre dentro da fazenda da família do empresário Odir Nicolodi. É o espaço planejado, justamente, para abrigar a nova cidade.

A estrada está parada dentro da propriedade há 5 anos.

Mato Grosso é o maior produtor brasileiro de soja: no ano passado, foram quase 32 milhões de toneladas. Na última safra, o país produziu 116,9 milhões de toneladas do grão, enquanto os Estados Unidos, produziram 119,5 milhões. Mas, se dá para competir com os americanos na produção, no transporte fica impossível.

A expansão da soja no Mato Grosso se deu ao longo da BR 163, estrada que fica praticamente intransitável em épocas de chuva. Muitas cidades foram surgindo e se enriquecendo graças à soja nos 40 últimos anos.

Depois, a expansão mudou seu rumo e foi crescendo para leste, no trajeto da BR 242. Agora, a agricultura não tem mais para onde crescer: as plantações estão esbarrando nos limites do Parque Indígena do Xingu.

Quando o parque foi demarcado, em 1961, ficaram de fora as mais de 22 mil nascentes do rio Xingu, que correm dentro do parque. Essas nascentes estão espalhadas pelas fazendas de criação de gado e produção de soja. Ficaram de fora também muitos lugares sagrados para os indígenas, como a caverna de Kamakuaká.

>> Veja matéria completa no Globo Rural

Fonte: Globo Rural

EUA: Desafio dos produtores em seguir com a safra 2019/20

A vista da cabine das plantadeiras da maior parte dos americanos que não consegue evoluir com seus trabalhos de campo nos Estados Unidos. Chuva, campos muito saturados pela umidade, dificuldades e decisões a tomar. Alguns deram início ao plantio somente esta semana frente a uma pequena janela que se abriu em alguns estados produtores neste últimos dias. Afinal, as previsões são de que as chuvas voltem, novamente fortes, a partir desta quarta-feira ao Corn Belt.

Foto de Kenneth Kuhlman, no Twitter - Creighton, Nebraska
Foto de Kenneth Kuhlman, no Twitter – Creighton, Nebraska

O analista internacional Matthew Pot, autor do reporte Grain Perspectives, traz um mapa mostrando as previsões para os próximos sete dias cruzadas com os percentuais de plantio de milho em cada estado. O país conta com apenas 67% da área semeada com o cereal contra a méida de 96% das últimas cinco temporadas.

91aae95f6fd6e185be7795702d743770

Illinois, Indiana, Missouri, Ohio e Arkansas são alguns dos estados que podem receber acumulados de mais de 75 mm de chuvas de 4 a 11 de junho. Iowa, Nebraska, Oklahoma, o Kansas e as Dakotas podem registrar chuvas de mais de 50 mm, de acordo com as últimas informações do NOAA, o serviço oficial de clima do governo norte-americano.

Do alto, se observa milhares de hectares sem ser plantados diante da apertada janela que o plantio da safra 2019/20 registrou. Há apenas cinco estados onde ainda é possível semear o milho dentro do período adequado. A soja ainda conta com algumas semanas.

Leia mais em: Notícias Agrícolas

Fonte: Notícias Agrícolas

IV Simpósio de Pós-colheita de Grãos do Mato Grosso do Sul

A Associação Brasileira de Pós-Colheita – ABRAPOS apresenta o IV Simpósio de Pós-colheita de Grãos do Mato Grosso do Sul (IVSPGMS2019) realizado no período de 29 a 31 de maio de 2019 no Salão Paroquial da Igreja Matriz – N. Sra. das Graças, situado na avenida Juscelino Kubitscheck 998, na cidade de Mundo Novo-MS.

Esta quarta edição do evento, promovido pela ABRAPOS no Estado do Mato Grosso do Sul, teve a realização da Cooperativa COPAGRIL. O evento teve a colaboração das instituições co-promotoras como as cooperativas Copasul, Coamo, Lar, C.Vale, Copacentro, Coperalfa, Cocamar, Coopergrãos, Cotriguaçu, as Universidades UFGD e UFMS, a Embrapa Soja, e o apoio da OCB/MS, Conab e da Associação Comercial e Industrial de Mundo Novo.

Nossa equipe participou do evento e colaborou para disseminar mais conhecimento e tecnologia para a agricultura!

123